500 mil litros de água foram desviados irregularmente em São Roque

Quase 700 mil litros de água foram furtados em seis cidades da região de Sorocaba (SP) no primeiro semestre deste ano. O maior volume – cerca de 500 mil litros – foi desviado irregularmente em São Roque (SP).

Por causa do aumento de casos, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), responsável pelo abastecimento de água na região, intensificou as fiscalizações.

Funcionários da companhia encontraram hidrômetro quebrado e até queimado em algumas casas de São Roque. Além disso, encontraram também uma mangueira que era usada para desviar água da tubulação da rua direto para os canos de uma casa.

O gerente da Sabesp, Marcelo Prente, explica que a maioria dos furtos foi descoberto pela própria tabela de consumo dos clientes.

“As fraudes elas são identificadas basicamente de três maneiras. Uma delas é pelo histórico de consumo do imóvel, outra maneira é através da vistoria in loco no imóvel e a outra maneira é através dos canais de denúncias desses tipos de furtos”.

Segundo dados da Sabesp, nos seis primeiros meses do ano passado um volume de 1,2 milhões de litros de água foi usado sem o pagamento devido, em 19 casas das seis cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS).

Este ano, o número de fraudes aumentou, foram 25 registros. Só a quantidade de água furtada que diminuiu: 669 mil litros.

Já só no primeiro semestre deste ano, foram idenficadas 15 fraudes no sistema de abastecimento de São Roque. O que equivale a quase 500 mil litros d’água furtados. Para se ter uma ideia da quantidade, é o que cabe em três tanques da estação de tratamento da cidade.

“O volume furtado em São Roque neste ano daria para abastecer 2,5 mil pessoas em um dia”, frisa o gerente da Sabesp.

Quem for flagrado furtando água, recebe cobrança retroativa de uma média do consumo. A companhia também registra boletim de ocorrência e a Polícia Civil investiga os casos. A pena para esse tipo de crime varia entre uma multa e detenção de dois a oito anos.

Fonte: G1

Comments

comments

Inline
Inline