Depois de apoio a Temer e Aécio, Bruna Furlan suspende facebook

Quem tentar achar a deputada federal, Bruna Furlan (PSDB), em algumas redes sociais, não irá encontrar. Ela suspendeu sua conta no Facebook e estava sendo massacrada pela população nas redes sociais. O motivo? Sua postura política na Câmara dos Deputados, em Brasília. Somente no facebook do Diário da Região a revolta era geral. Até o fechamento desta edição quase 300 pessoas tinham compartilhado a notícia e outras 280 comentado, em sua maioria, reprovando Bruna por defender o presidente Michel Temer. Seu voto mais recente livrou Temer de investigação.

A Câmara Federal aprovou, na noite de anteontem, o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendava a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) por crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. Trocando em miúdos, os deputados livraram Temer de responder no Supremo Tribunal Federal (STF) a processo que, se instalado, provocaria seu afastamento do cargo por 180 dias, como ocorreu com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Temer é acusado de corrupção passiva.

O presidente conseguiu se livrar do processor ao somar, às 20h16, 159 votos de deputados favoráveis ao relatório da CCJ, que recomendava a rejeição da denúncia da PGR. Já ao final foram vitória foi de 263 a 227. Agora, responderá no STF somente após a conclusão do mandato, em 31 de dezembro de 2018. O posicionamento político de Bruna Furlan vem desagradando o eleitor há meses. Ela também votou a favor da reforma trabalhista, proposta por Temer. Na época, o internauta não perdoou. Pouco tempo depois, vieram as acusações contra o senador Aécio Neves, também por corrupção passiva e lavagem de dinheiro público. Aécio foi afastado do cargo e retornou. Adivinha quem o recebeu de braços abertos? Isso mesmo, Bruna Furlan. Novamente entrou na mira do eleitor que rejeitou a atitude da deputada.

Fonte: Webdiário

Comments

comments

Inline
Inline