Jogo Baleia Azul faz primeira vítima na Região

As redes sociais tomaram conta da vida das pessoas. É difícil encontrar quem não navegue por algum tipo de site ou de aplicativo. O problema é que no meio de tanta oferta há algumas armadilhas.

Exemplo disso, é o jogo mortal vem ganhando popularidade e chamando a atenção de todos na Internet e no Mundo, o denominado Baleia Azul (Blue Whale).

O fenômeno que começou na Rússia, ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo. Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia e até mesmo no Brasil.

E ao que parece, o jogo fez a primeira vítima em Osasco. É o que conta o Conselheiro Tutelar Gilson Biondo, em sua coluna, na qual ele descreve a situação de uma diretora de escola, que percebeu em uma aluna um comportamento diferente. Intrigada, a diretora começou a observar e pôde verificar que a garota estava seguindo os passos do jogo, que em sua última etapa, pode levar o jogador a cometer suicídio.
“Neste último final de semana, recebi de uma diretora de escola (preservarei o nome para evitar represálias) uma mensagem no whatsapp preocupada porque uma de suas alunas mostrava fortes indícios de que estava participando do jogo. Quando fomos averiguar e confirmar a informação ficou evidente de que realmente se tratava de uma adolescente adepta ao jogo. Infelizmente, mal começou a semana e recebi várias mensagens de que há adolescentes praticando o jogo em diversas esferas da nossa cidade”, relatou Biondo.

No total, são propostos 50 desafios, tais como: escrever com uma navalha o nome daquele grupo na palma da mão, cortar o próprio lábio, desenhar uma baleia em seu corpo com uma faca, até chegar ao desafio final, que ordena tirar a própria vida.

Um dado preocupante é que, após a vítima iniciar os desafios, ela não poderá desistir. Dizem alguns participantes, que caso pretendam desistir, são ameaçados pelos administradores do game, pois se deve ir até o desafio final.

Não há dúvida que esse jogo preocupante e mortal é contrário ao nosso ordenamento jurídico, e fica claro que a conduta dos responsáveis é criminosa.

As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul. Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline