Mulher em Itapevi sofre ameaças de ex marido violento

A mulher, que prefere não ter o nome revelado, era agredida constantemente e até ameaçada de morte.

O caso só foi descoberto quando um sobrinho da vítima, que presenciava tudo, contou para a professora. Vários Boletins de Ocorrência foram registrados. Para ameaçar a mulher, o homem passou então a ameaçar a filha do casal, de apenas quatro anos. Apesar de ter várias passagens pela polícia, ele continua em liberdade.

 

Os dados do Data Folha deste ano mostram que 22% das brasileiras sofreram ofensa verbal no ano passado, um total de 12 milhões de mulheres. Além disso, 10% das mulheres sofreram ameaça de violência física, 8% sofreram ofensa sexual, 4% receberam ameaça com faca ou arma de fogo. E ainda: 3% ou 1,4 milhões de mulheres sofreram espancamento ou tentativa de estrangulamento e 1% levou pelo menos um tiro.

A pesquisa mostrou que, entre as mulheres que sofreram violência, 52% se calaram. Apenas 11% procuraram uma delegacia da mulher e 13% preferiram o auxílio da família.

E o agressor, na maior parte das vezes, é um conhecido (61% dos casos). Em 19% das vezes, eram companheiros atuais das vítimas e em 16% eram ex-companheiros.

As agressões mais graves ocorreram dentro da casa das vítimas, em 43% dos casos, ante 39% nas ruas.

Fontes: Cidade Alerta e Data Folha

Comments

comments

Inline
Inline