Mulheres aplicam golpes no centro de São Roque

A Polícia Civil de São Roque investiga a ação de uma dupla de golpistas que vem agindo na região central de São Roque. De acordo com as autoridades, as vigaristas geralmente abordam mulheres idosas, que acabaram de efetuar saques em agências bancárias e que são abordadas na região da Rua Pedro Vaz e imediações da Av. John Kennedy.

Tudo começa quando uma das estelionatárias simula derrubar uma carteira na frente da vítima, enquanto outra golpista, que segue pouco atrás, finge perceber que a carteira caiu e a pega para “devolvê-la”. Assim, a criminosa que fingiu perder o item se mostra agradecida e diz que os país tem uma loja de sapatos no centro da cidade, afirmando que irá dar uma recompensa à vítima e à outra golpista.

A golpista manda que a comparsa então pegue a suposta recompensa primeiro, e quando a mulher sai, volta depois de alguns instantes com uma caixa na mão para provar a vítima que a situação é legitima. Quando é a vez da vítima, a golpista explica onde é a suposta loja dos seus pais e pede que ela busque o presente no ligar, dando um recibo e um molho de chaves que devem ser apresentados para que ela possa receber a “recompensa”.

Convencida da situação a vítima deixa a bolsa com a golpista (a pedido da mesma) e vai até a suposta loja, porém ela não encontra o estabelecimento fictício e ao voltar, as marginais já fugiram do local.

Até o momento, dois casos como o descrito acima foram registrados em São Roque, porém com pessoas diferentes. Em uma ocorrência as duas criminosas que aplicaram o golpe era jovens e no outro uma das golpistas era uma mulher de aparência idosa, descrita como  alguém de estatura baixa, morena, de cabelos crespos curtos e que aparentava ter um defeito em uma das pernas.

O modo operante das criminosas e a discrepância entre as aparências das criminosas indica as autoridades que mais pessoas possam estar envolvidas no esquema, atuando como uma quadrilha de estelionatárias na região.

“Estamos requisitando imagens das câmeras de segurança das imediações para tentar identificar as pessoas. Provavelmente as golpistas não são da cidade e geralmente agem em conluio com mais pessoas, que depois do golpe entram em algum veículo que as espera e fogem do local. É importante orientar a população para ficar atentos a qualquer abordagem estranha na via pública e desconfiar de pessoas que prometam algum presente ou algum outro tipo de recompensa”, afirmou o Escrivão Chefe da Delegacia de São Roque Anderson Góes.

É importante destacar que pessoas idosas estão entre os alvos preferidos dos golpistas e assim, indicasse que o idoso vá a qualquer agência bancária na companhia de algum familiar ou conhecido.

Fonte: Jornal da Economia

Comments

comments

Inline
Inline