Polícia investiga se morte de recém-nascido foi causada por erro médico na Santa Casa de São Roque

Denúncia diz que no cartão do pré-natal da gestante havia a orientação de cesariana, mas o médico plantonista forçou um parto normal. Boletim de ocorrência por morte suspeita foi registrado na delegacia.

A Polícia Civil vai investigar se a morte de um recém-nascido na Santa Casa de São Roque (SP) foi causada por erro da equipe médica. Na segunda-feira (22), a família da gestante registrou um boletim de ocorrência por morte suspeita na delegacia da cidade.

Em entrevista ao G1, Luiz Antônio dos Santos, pai do recém-nascido, conta que a esposa, Rosangela Korschener Kempfer, estava grávida de 39 semanas e obrigatoriamente deveria ser submetida a uma cesariana por conta de seu histórico de gravidez ectópica, que é quando ocorre fora do útero.

A recomendação, inclusive, constava em seu cartão do pré-natal, que foi realizado normalmente em um posto de saúde da cidade. Mesmo assim, ao dar entrada na Santa Casa de São Roque na madrugada de segunda-feira com fortes contrações, o médico teria forçado um parto normal.

Ao G1, Luiz garante que a gravidez da esposa ocorreu normalmente, sem nenhuma complicação — Foto: Arquivo pessoal/Luiz Antonio dos Santos
Luiz garante que a gravidez da esposa ocorreu normalmente, sem nenhuma complicação — Foto: Arquivo pessoal/Luiz Antonio dos Santos

Luiz reclama que chegou a avisar, por duas vezes, que deveriam fazer logo a cesariana, mas que ninguém lhe deu ouvidos. Além disso, ele conta que foi impedido de entrar na sala de parto por conta da falta da roupa adequada.

“Tive que ficar do lado de fora ouvindo ela gritar desesperadamente. Foi horrível, desumano o que fizeram com ela. Depois de forçarem muito o parto normal, fizeram a cesariana por volta das 7h e só quando deu 9h foram nos avisar que meu filho não tinha sobrevivido”, lamenta.

Comments

comments

Inline
Inline